CURADORES E TUTORES

Para programar a Mostra de Videoarte dos Açores são convidados curadores de renome internacional, que desenham uma programação exclusiva para o FUSO INSULAR e apresentam uma seleção de obras inéditas de artistas Portugueses e estrangeiros. As sessões são precedidas por uma conversa com o curador, de forma a enriquecer o conhecimento do público.

O Laboratório Imagem em Movimento, programa de residência criativa do FUSO INSULAR, convida todos os anos artistas com larga experiência na área da imagem em movimento, para ministrar a formação teórica e fazer o acompanhamento prático dos participantes.

Paul Goodwin é curador, pesquisador e educador baseado em Londres. A pesquisa de Goodwin se concentra na arte da diáspora africana desde 1980 e na globalização na produção de arte contemporânea. De 2008 a 2012, como curador da Tate Britain, dirigiu o pioneiro Programa Cross Cultural que explorou questões de migração e globalização na arte britânica contemporânea. Seus projetos curatoriais incluem uma série de exposições internacionalmente significativas, incluindo: Migrations: Journeys Into British Art, Tate Britain 2012; Linha(s) preta(s) fina(s), Tate Britain, 2011; Coming Ashore, 2011, Museu Coleção Berardo em Lisboa, Portugal; Afro Modern: Journeys Through the Black Atlantic (curador consultor), Tate Liverpool, 2010; Underconstruction, Hospital Julius De Matos, Lisboa, Portugal, 2009. É o Co-Lead Investigator (com o Prof Ming Tiampo) do projecto de investigação internacional financiado pela Plataforma Transatlântica para as Ciências Sociais e Humanas: Worlding Public Cultures: The Arts and Inovação Social e cofundadora da rede Transnational and Transcultural Arts and Culture Exchange (TRACE). Projetos curatoriais recentes incluem: W.E.B. DuBois: Charting Black Lives (House of Illustration, London, UK, 2019, Illustration Embassy, ​​Amsterdam, NL 2021), We Will Walk: Art and Resistance in the American South (Turner Contemporary, Margate, UK, 2020) e Untitled: Art sobre as Condições do Nosso Tempo, Capítulo 2 (em turnê, Kettle's Yard, Cambridge, Reino Unido, fevereiro de 2021). Ele é um administrador (diretor) da Lux Moving Image e The Africa Centre em Londres, um membro honorário do Wadham College, da Universidade de Oxford, membro da Royal Society of Arts e membro honorário do Conselho Franco-Britânico. Goodwin é atualmente Professor e Presidente de Arte Contemporânea e Urbanismo e Diretor do TrAIN Research Center (Transnational Art, Identity & Nation) na University of the Arts London, onde também leciona no programa MA Fine Art no Chelsea College of Arts.


Jean-François Chougnet (França) é director artístico do FUSO, e tem dedicado a sua carreira às políticas culturais. Foi director-geral do Villette, Paris (2001-2006). Em 2005, foi comissário-geral do Ano do Brasil na França. Dirigiu a Fundação Berardo, em Lisboa, de 2007 a 2011. Em 2011, Jean-François Chougnet tornou-se CEO da Marseille-Provence Capital da Cultura Européia 2013. Desde 2014 é presidente do Musée des Civilisations de l’Europe et de la Méditerranée, em Marselha, França.

Yuri Firmeza é professor do curso de Cinema e Audiovisual da Universidade Federal do Ceará onde é integrante do LEEA (Laboratório de Estudos e Experimentação em Audiovisual). Doutorando em Arte Multimédia pela Universidade de Lisboa e membro colaborador do CIEBA (Centro de Investigação e Estudos em Belas Artes). Organizou, conjuntamente com Clara Bastos, Leonardo Mouramateus e Érico Araújo Lima, o seminário e o livro “O trabalho das ruínas: genealogias, ficções, (re)montagens” e conjuntamente com Pablo Lobato o livro "O que exatamente vocês fazem, quando fazem ou esperam fazer curadoria?". Participou de festivais de cinema e exposições em diversas cidades do Brasil e do exterior, entre as quais a 31ª Bienal de São Paulo, 14th Biennale Jogja: Stage of Hopelessness – Yogyakarta/Indonesia; 21st Videoex – International Experimental Film & Video Festival Zurich/ Switzerland; 64th e 62nd International Short Film Festival Oberhausen/Germany, 11ª Bienal do Mercosul e a exposição individual Turvações Estratigráficas, no Museu de Arte do Rio de Janeiro.

André Laranjinha (n. 1977) vive e trabalha em São Miguel. É formado em Belas-Artes pela Universidade de Lisboa e desenvolve trabalhos em cinema, vídeo, artes plásticas, artes gráficas e ilustração. É cofundador do atelier Alice’s House, juntamente com a designer gráfica Júlia Garcia.

Entre seus filmes destacam-se: Vinho (2018); Muros de Pedra (2017); Clarissas (2016); Pão (2014); Matança (2011); A Ilha do Preto (2010); A Natureza e o Engenho (2009) e Romarias de São Miguel (2009).

Esfera
Paul Goodwin

Paul Goodwin

Paul Goodwin é curador, pesquisador e educador baseado em Londres. A pesquisa de Goodwin se concentra na arte da diáspora africana desde 1980 e na globalização na produção de arte contemporânea. De 2008 a 2012, como curador da Tate Britain, dirigiu o pioneiro Programa Cross Cultural que explorou questões de migração e globalização na arte britânica contemporânea. Seus projetos curatoriais incluem uma série de exposições internacionalmente significativas, incluindo: Migrations: Journeys Into British Art, Tate Britain 2012; Linha(s) preta(s) fina(s), Tate Britain, 2011; Coming Ashore, 2011, Museu Coleção Berardo em Lisboa, Portugal; Afro Modern: Journeys Through the Black Atlantic (curador consultor), Tate Liverpool, 2010; Underconstruction, Hospital Julius De Matos, Lisboa, Portugal, 2009. É o Co-Lead Investigator (com o Prof Ming Tiampo) do projecto de investigação internacional financiado pela Plataforma Transatlântica para as Ciências Sociais e Humanas: Worlding Public Cultures: The Arts and Inovação Social e cofundadora da rede Transnational and Transcultural Arts and Culture Exchange (TRACE). Projetos curatoriais recentes incluem: W.E.B. DuBois: Charting Black Lives (House of Illustration, London, UK, 2019, Illustration Embassy, ​​Amsterdam, NL 2021), We Will Walk: Art and Resistance in the American South (Turner Contemporary, Margate, UK, 2020) e Untitled: Art sobre as Condições do Nosso Tempo, Capítulo 2 (em turnê, Kettle's Yard, Cambridge, Reino Unido, fevereiro de 2021). Ele é um administrador (diretor) da Lux Moving Image e The Africa Centre em Londres, um membro honorário do Wadham College, da Universidade de Oxford, membro da Royal Society of Arts e membro honorário do Conselho Franco-Britânico. Goodwin é atualmente Professor e Presidente de Arte Contemporânea e Urbanismo e Diretor do TrAIN Research Center (Transnational Art, Identity & Nation) na University of the Arts London, onde também leciona no programa MA Fine Art no Chelsea College of Arts.


Jean-François Chougnet

Jean-François Chougnet

Jean-François Chougnet (França) é director artístico do FUSO, e tem dedicado a sua carreira às políticas culturais. Foi director-geral do Villette, Paris (2001-2006). Em 2005, foi comissário-geral do Ano do Brasil na França. Dirigiu a Fundação Berardo, em Lisboa, de 2007 a 2011. Em 2011, Jean-François Chougnet tornou-se CEO da Marseille-Provence Capital da Cultura Européia 2013. Desde 2014 é presidente do Musée des Civilisations de l’Europe et de la Méditerranée, em Marselha, França.

Yuri Firmeza (Tutor)

Yuri Firmeza (Tutor)

Yuri Firmeza é professor do curso de Cinema e Audiovisual da Universidade Federal do Ceará onde é integrante do LEEA (Laboratório de Estudos e Experimentação em Audiovisual). Doutorando em Arte Multimédia pela Universidade de Lisboa e membro colaborador do CIEBA (Centro de Investigação e Estudos em Belas Artes). Organizou, conjuntamente com Clara Bastos, Leonardo Mouramateus e Érico Araújo Lima, o seminário e o livro “O trabalho das ruínas: genealogias, ficções, (re)montagens” e conjuntamente com Pablo Lobato o livro "O que exatamente vocês fazem, quando fazem ou esperam fazer curadoria?". Participou de festivais de cinema e exposições em diversas cidades do Brasil e do exterior, entre as quais a 31ª Bienal de São Paulo, 14th Biennale Jogja: Stage of Hopelessness – Yogyakarta/Indonesia; 21st Videoex – International Experimental Film & Video Festival Zurich/ Switzerland; 64th e 62nd International Short Film Festival Oberhausen/Germany, 11ª Bienal do Mercosul e a exposição individual Turvações Estratigráficas, no Museu de Arte do Rio de Janeiro.

André Laranjinha (Tutor)

André Laranjinha (Tutor)

André Laranjinha (n. 1977) vive e trabalha em São Miguel. É formado em Belas-Artes pela Universidade de Lisboa e desenvolve trabalhos em cinema, vídeo, artes plásticas, artes gráficas e ilustração. É cofundador do atelier Alice’s House, juntamente com a designer gráfica Júlia Garcia.

Entre seus filmes destacam-se: Vinho (2018); Muros de Pedra (2017); Clarissas (2016); Pão (2014); Matança (2011); A Ilha do Preto (2010); A Natureza e o Engenho (2009) e Romarias de São Miguel (2009).