Quando Desconstruímos Algo

Reem Fadda

Este programa de filmes investiga os conceitos da descolonização, investigação forense, desconstrução e objetivo através do vídeo. De que forma os artistas desenvolveram uma linguagem de filmografia que utiliza o vídeo para apoiar uma ação em contextos humanitários, sociais e políticos? Os vídeos documentais já há muito que suportam o potencial de testemunho, mas será que podem, na realidade, tornar-se testemunhas, testemunhos, provas? De que forma os artistas e criativos usam o método do vídeo para fazer perguntas e fornecer uma ferramenta de eficácia na atualidade? O programa de filmes começa, de forma enigmática, com o vídeo artístico de Shuruq Harb, que questiona as linguagens da verdade e normalidade através dos espelhos dos anos de juventude na Guerra do Golfo, a Intifada e a chocante cultura underground da música trance em Telavive. Este programa é fortemente inspirado por citação de um texto desta obra, que dá o nome à sessão. O programa continua com o trabalho de Forensic Architecture e apresenta um estudo de caso do seu trabalho, “Ataque com armas químicas em Douma, Síria”, e como desenvolveram a linguagem da arquitetura e investigação forense usando vídeos públicos para criar provas usadas em casos de direitos humanos, a disseminação da verdade e até em tribunais. De seguida, o programa apresenta a obra de Sandi Hilal, membro do DAAR que tem trabalhado em diversas questões relacionadas com refugiados, da Palestina a Boden, na Suécia. Neste filme documentado por Ana Naomi De Sousa, regista os inícios de um projeto vital, “The Living Room” ou “The Madhafah”, no qual os refugiados reclamam os seus direitos a refugiarem-se num outro país. O quarto vídeo documenta a obra pertinente de MTL Collective, criado em Nova Iorque por Nitasha Dhillon e Amin Husain, com impacto na Palestina, Istambul, São Paulo e Londres. O seu objetivo era criar um coletivo artístico político focado na proliferação de ações diretas, de forma a impor ideias de resistência e formação na prática da liberdade. O vídeo final, do artista Lawrence Abu Hamdan, apresenta uma análise sonora pertinente às balas, provando que os exército israelita tinha como alvo dois rapazes palestinianos, numa demonstração nos arredores de Ramallah. Este vídeo é apresentado num formato abstrato através de um processo judicial, no qual esta análise sonora foi apresentada como prova.

Detalhes

Local:Museu da Marioneta
Horário2 set, às 22:00
Duração69′

Reem Fadda

Jordânia

Em exibição nesta Sessão: